CPI do Senado investigará homicídios de jovens no Brasil

Deve ser instalada na próxima semana no Senado uma comissão parlamentar de inquérito destinada a investigar o assassinato de jovens no Brasil. Integram a comissão os senadores Roberto Rocha (PSB), Paulo Paim (PT-RS), Ângela Portela (PT-RR), Telmário Mota (PDT-RR), Lindbergh Farias (PT-RJ), Simone Tebet (PMDB-MS), Maria do Carmo Alves (DEM-SE), Magno Malta (PR-ES) e Lídice da Mata (PSB-BA), autora do pedido.

Pesquisa do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) mostra que mais de 42 mil adolescentes, de 12 a 18 anos, poderão ser vítimas de homicídio nos municípios brasileiros com mais de 100 mil habitantes entre os anos de 2013 e 2019. Isso significa que, para cada grupo de mil pessoas com 12 anos completos em 2012, 3,32 correm o risco de serem assassinadas antes de atingirem 19 anos de idade. A taxa representa um aumento de 17% em relação a 2011.

Segundo o Mapa da Violência2014, estudo coordenado pelo sociólogo Julio Jacobo Waiselfisz e considerado referência no assunto, o Distrito Federal registrou um crescimento de 12,3% no índice de homicídios de jovens entre 2002 e 2012. Brasília foi a décima terceira, no ranking das 27 capitais, em crescimento de violência contra o jovens. As capitais com maior aumento dos índices foram Natal (RN) e São Luís (MA). São dados alarmantes, que precisam ser tratados como sintomas, cujas causas precisamos apurar e resolver”, avaliou Roberto Rocha, do PSB do Maranhão.

Receba Publicações

Estudantes de Direito que têm interesse em receber o exemplar do Novo Código de Processo Civil (CPC), cadastrem-se e recebam gratuitamente.

Cadastre e receba
Para sugerir um projeto, enviar um recado ou pedir uma entrevista.