Roberto Rocha teve atuação intensa em Brasília pela saúde do Maranhão

A melhoria do sistema de saúde no Maranhão foi uma das metas de trabalho do primeiro semestre do mandato do senador Roberto Rocha (PSB-MA). Além de destinar recursos no Orçamento de 2015, por meio de emendas, atuou junto ao Ministério da Saúde para garantir os investimentos necessários ao estado. “Educação e saúde são temas que considero da maior relevância porque definem o tipo de desenvolvimento que queremos para nosso País e para o nosso Maranhão, por esta razão esses temas estarão sempre no centro da minha atuação”, afirmou Roberto Rocha.

O senador destinou R$ 9, 5 milhões para a saúde por meio de emendas no Orçamento da União de 2015, sendo R$ 5 milhões de emendas feitas diretamente por ele quando tomou posse, em fevereiro de 2015, e R$ 4,5 feitas a pedido dele pelos ex-deputados federais Simplício Araújo e Zé Vieira. Como se trata de orçamento impositivo, esses recursos deverão ser obrigatoriamente liberados pelo governo federal.

Os valores, que deverão ser aplicados ainda este ano, destinam-se a projetos diversos como atenção básica, construção de hospitais regionais de atendimento materno-infantil em Imperatriz e Balsas, além de um centro de reabilitação a ser implantado em Timon, o primeiro de sete em todo o Maranhão. Eles darão atendimento, entre outras coisas, a demandas de traumas ortopédicos, um problema que vem crescendo no estado principalmente em função do grande número de acidentes com moto.

O Maranhão tem hoje, segundo dados do Detran, 711.9 mil motocicletas e 117.7 mil motonetas em circulação, a maior parte no interior. O estado é o sexto com maior número de mortes causadas por acidentes de moto, segundo o Ministério da Saúde, e, em 2014, esses acidentes levaram a 2.578 internações no Sistema Único de Saúde, com um custo de R$ 1,4 milhão. “Esse é um problema que precisamos enfrentar e a construção dos centros de reabilitação ajudará na recuperação de muitos jovens que sofrem sequelas por acidentes de moto”, afirmou o senador.

Os hospitais materno-infantis de Imperatriz e de Balsas farão o atendimento da região e devem contar com a Casa da Gestante, espaço de apoio para mães que precisam se deslocar para a cidade a fim de realizar consultas, exames e internações, além de estadia após o parto.

Aumento de repasse

Outra frente de atuação importante em favor da saúde foi o esforço feito junto ao relator-geral do Orçamento de 2015, em conjunto com toda a bancada federal do Maranhão, para o aumento do índice MAC (média e alta complexidade), que permitiu o crescimento do repasse de recursos para o estado do previsto inicialmente de R$ 141,71 mil per capta para R$ 154,49 por pessoa.

Audiência

Em junho, o senador Roberto Rocha teve uma reunião com o ministro da Saúde, Arthur Chioro, de quem obteve a garantia do custeio de cinco hospitais de média complexidade em Pinheiro, Santa Inês, Balsas, Imperatriz e Caxias, este último com especialidade em Oncologia, que garantirá tratamento à população sem precisar recorrer aos hospitais de Teresina. Também ficou acertado a liberação de unidades móveis de atendimento de urgência do Samu para atender as populações de São Luís, Grajaú, Balsas, São Domingos e Açailândia. Para a agenda com o ministro, o senador convidou o secretário de Saúde do Maranhão, Marcos Pacheco, e a subsecretária Rosângela Curado.

Receba Publicações

Estudantes de Direito que têm interesse em receber o exemplar do Novo Código de Processo Civil (CPC), cadastrem-se e recebam gratuitamente.

Cadastre e receba
Para sugerir um projeto, enviar um recado ou pedir uma entrevista.